Vodka

As origens da Vodka perdem-se na região do leste da Europa. Russos e polacos reclamam a sua invenção, mas os factos históricos não são conclusivos. O nome da bebida parece derivar do étimo russo “Voda”, que significa água.

Ao longo dos tempos, as técnicas de destilação da Vodka evoluíram. Inicialmente esta bebida era alvo de uma única destilação depois, começou a ser redestilada, utilizando-se mel para melhorar o seu sabor. Mais tarde, já no século XVIII, começou a utilizar-se carvão para filtrar o destilado e obter uma bebida mais neutral.

A Vodka pode ser fabricada a partir de cereais (sorgo, milho, centeio, trigo), tubérculos (de batata e beterraba), melaço, fava de soja, uvas, arroz e, inclusivamente, de derivados de petróleo refinado e de pasta utilizada para o fabrico de papel. A água é também um ingrediente fundamental da Vodka, até porque esta constitui 60% do seu conteúdo. A água cristalina dos rios russos utilizada nos primórdios do fabrico da Vodka passou a ser purificada com vista a adquirir uma pureza semelhante à da água destilada, a qual não se utiliza por conferir uma cor opaca à bebida.

A produção desta bebida desenvolve-se em 6 fases: fermentação, destilação, rectificação, filtração, diluição e engarrafamento.

Se forem utilizados cereais para produzir a Vodka, estes são imersos em água e pré-aquecidos para fomentar a conversão do amido em açúcar, crucial para o processo de fermentação. Seguidamente esta mistura é drenada e a parte retida é fermentada. Antes de serem pré-aquecidas, as batatas são esmagadas. Durante a fermentação a levedura presente transforma o açúcar da mistura em álcool. Depois da fermentação a mistura não ultrapassa 15% de volume, pelo que se recorre à destilação para elevar o seu nível alcoólico.

Muito antes de serem empregues processos de destilação, o álcool era separado da água e das impurezas através do frio sentido durante os gélidos meses da Europa de Leste, aproveitando o facto de a água congelar a temperaturas mais baixas do que o álcool. Uma forma tradicional de destilar Vodka consistia em realizar uma dupla destilação do álcool, seguindo-se adição de leite à solução, que era uma vez mais destilada e à qual se acrescentava, por fim, água e aroma. No século XX, a invenção da destilação contínua em alambiques com coluna fraccionada ou de refluxo constituiu um enorme avanço para os produtores de Vodka, que passaram a poder destilar esta bebida de forma contínua, com um elevado volume alcoólico e grau de pureza.

Durante a fase de rectificação são removidos do destilado os componentes indesejáveis como o metanol. Para esta tarefa pode utilizar um Alambique tradicional (Alambique de Uniões Soldadas ou Alambique de Uniões Rebitadas), que lhe permitirá remover todas as impurezas através da separação das cabeças e rabos do destilado final (veja Normas Básicas da Destilação). Se não quiser realizar duas ou três destilações pode optar por um Alambique com Coluna de Refluxo , que numa única destilação lhe permitirá obter um destilado puro e com uma elevada concentração alcoólica. Caso pretenda utilizar a sua Vodka como base para a elaboração de licores pode ainda optar por um Conjunto de Destilação de Refluxo, que inclui um alambique tradicional e uma coluna de refluxo. Assim, pode destilar a vodka utilizando a coluna de refluxo, aromatizando-a posteriormente ou utilizando o alambique tradicional com o pescoço de cisne e o recipiente de condensação.

Após a rectificação, a Vodka é filtrada com carvão vegetal activo para se neutralizar e remover quaisquer impurezas que possam ter permanecido, alcançando, assim, um destilado sem cor, sem aroma, com elevada pureza, e com um teor alcoólico superior a 95%. No fundo, a Vodka não é mais do que puro etanol.

Pode ainda ser adicionada água antes ou depois da filtração, para diluir a Vodka e conduzi-la a níveis alcoólicos mais aceitáveis, mas isso depende do método do produtor.

Na aromatização da Vodka utiliza-se frequentemente: pimentão vermelho, gengibre, baunilha, chocolate, canela assim como várias frutas e especiarias. Finalmente, salvo alguns tipos de Vodka que são envelhecidas em barris de madeira, a Vodka é directamente engarrafada, uma vez que não necessita de envelhecer.