Tequila

A Tequila é uma aguardente Mexicana e, tal como o Cognac e o Vinho do Porto, tem delimitada uma região de produção. São 5 as regiões onde a Tequila pode ser legalmente produzida, sendo que a maior parte delas se situam no Estado de Jalisco, as restantes situam-se nos Estados limítrofes de Guanajuato, Michoacon, Nayarit e Tamaulipas.

Esta bebida foi destilada pela primeira vez pelos Conquistadores espanhóis, que fabricaram a partir do agave uma bebida similar ao “pulque”. O “pulque” era uma bebida alcoólica fermentada, com baixo teor alcoólico, entre 4 a 8%, rica em vitaminas, extraída da seiva açucarada do agave e consumida pelos Aztecas nos festivais religiosos. Na época na Europa consumia-se vinho com uma certa regularidade, em especial às refeições, pelo que quando chegaram à América do Sul os espanhóis defrontaram-se com um grande dilema, uma vez que não tinham vinho, nem uvas para o elaborar. O “pulque” era uma bebida demasiado fraca, que não satisfazia os seus gostos e hábitos. Foi então que começaram a destilar as suas próprias bebidas a partir da seiva açucarada do agave, quiçá utilizando como base uma bebida fermentada obtida do agave azul muito semelhante ao “pulque”. Assim nasceu o primeiro protótipo da Tequila, algum tempo antes de esta adquirir o reconhecimento e apreço internacional e de se converter num ícone do México.

A Tequila é feita a partir do agave azul, uma fruta que pode necessitar de 10 a 12 anos para amadurecer, podendo atingir os 50 kg de peso, 60 cm de altura e 45 cm de diâmetro. O que se utiliza para elaborar a Tequila é o chamado coração do agave, que se colhe após a remoção das folhas espinhosas da planta. A Tequila deve ter um mínimo de 51% de agave, mas na sua composição entram também outros ingredientes como o milho e a cana de açúcar. Algumas Tequilas de alta qualidade, são destiladas na sua totalidade do agave azul, todas aquelas que incluem outros ingredientes são chamadas “mixto”.

Para elaborar a Tequila são necessárias várias etapas. Primeiro, os corações dos agaves são cuidadosamente colhidos, devendo para tal apresentar-se perfeitamente maduros. Depois são cortados e cozinhados a vapor em grandes fornos durante 48horas, sendo de seguida triturados e macerados. O líquido resultante deste processo fermenta durante 2 dias, após a adição de leveduras, açúcar e água. A fermentação é levada a cabo em tanques de aço inoxidável, que se encontram abertos, nos quais a temperatura é cuidadosamente monitorizada, oscilando entre os 30 e os 42ºC. Após a fermentação o mosto repousa, sendo depois misturado com os componentes aromáticos.

Segue-se uma dupla destilação realizada num Alambique tradicional (Alambique de Uniões Soldadas ou Alambique de Uniões Rebitadas). O destilado deve ser cuidadosamente monitorizado, com vista a efectuar os pontos de corte precisos, removendo as cabeças e rabos do destilado, que são impróprias para consumo (para mais informações consulte o nosso documento Normas básicas da destilação).

A Tequila é depois envelhecida em barris de carvalho branco ou de azinheira, adquirindo, assim, os seus peculiares aromas, sabores e cores. O período de envelhecimento não é sempre o mesmo, depende da qualidade de Tequila que se pretenda produzir: a Tequila Plata ou Blanca não precisa mais do que 2 ou três meses de envelhecimento; a Tequila Reposado necessita, regra geral, de 1 ano ; a Tequila Añejo de 1 a 3 anos; a Tequila Oro (que possui cor e sabor caramelizados) de 9anos, existindo ainda Tequila de Reserva (cujo preço iguala, muitas vezes, o dos melhores Conhaques), que necessita mais de 10 anos.

A graduação alocoólica da Tequila engarrafada situa-se entre os 38 e os 45%.

A Tequila deve ser servida informalmente, à maneira mexicana: num copo coloca-se tequila pura, limão ou lima e sal; coloca-se sal nas costas da mão, lambe-se, bebe-se tequila e suga-se o limão. No México esta