Gin

O zimbro, uma fruta azul-esverdeada altamente aromatizante, é o ingrediente fundamental na produção do Gin, porém, a sua composição inclui também milho, trigo, cevada e centeio. Na produção de algumas qualidades de Gin, são também utilizados melaço e arroz. Como todas as bebidas espirituosas, também o Gin foi inicialmente considerado um tónico medicinal, designado de “Genever” pelos Holandeses, nome que ainda hoje conservam. O termo “Gin” apareceu mais tarde, no século XVII, aquando da introdução desta bebida na Inglaterra. Na Inglaterra foi considerada uma bebida das classes mais baixas, assim como um produto medicinal, vendido nas farmácias como um relaxante.

A invenção do Gin é atribuída ao médico holandês Francisco De La Boe que elaborou uma bebida à base de zimbro para o tratamento de doenças renais, embora os italianos também reclamem a sua invenção.

O fabrico de Gin inicia-se com a mistura dos vários cereais que fazem parte da sua composição até se obter uma massa, que é posteriormente cozida e fermentada. Segue-se a destilação processada num Alambique com coluna, da qual resulta um destilado forte e transparente com um volume alcoólico igual ou superior a 90%.

Aquando da segunda destilação, são adicionadas as plantas aromáticas, que se colocam num recipiente suspenso na coluna, com vista a realizar uma destilação a vapor. Zimbro, o mais importante ingrediente do Gin, podendo no entanto ser adicionados outros ingredientes como coentros, angélica, casca de laranja, casca de limão, canela, sementes de malagueta, grãos de pimenta cubeba, noz-moscada e gengibre. Todas estas plantas são incorporadas na elaboração do Gin e o segredo que diferencia as várias marcas existentes reside precisamente na combinação própria de cada produtor. Esta segunda destilação produz um Gin com um elevado teor alcoólico, o qual é corrigido através da adição de água destilada, uma vez que a maioria do Gin comercializado tem 40% de volume.

Encontram-se comercializadas várias qualidades de Gin: os Gins ingleses como London Dry Gin (o mais conhecido), Old Tom Gin (bebida levemente doce), Plymouth Gin, Sloe Gin (um Gin adocicado ao qual se adicionam em ameixas) e os Gins holandeses, que são relativamente mais doces e aromáticos do que os ingleses.

Alguma prática, muita persistência, experimentação de vários métodos e combinações distintas dos ingredientes são os métodos que o ajudarão a produzir o seu Gin favorito. Se gostaria de fazer o seu próprio Gin, não se esqueça que é fundamental utilizar entre 20 a 35 gramas de ervas aromáticas por cada litro de destilado. As ervas aromáticas devem ser maceradas em álcool durante cerca de 24 horas antes de se realizar a destilação a vapor. Temos ao seu dispor sistemas de destilação a vapor para profissionais e para amadores. Para quem pretende destilar em casa, aconselhamos a aquisição de pequenas unidades de destilação com coluna e um cesto interno (Ref. 4184.1), neste caso, o alambique com 2,5 litros, que possui um cesto interno com criva (Ref. 5873) ou o alambique com coluna de 6 litros, que também possui um cesto interno com criva (Ref. 5872). A segunda destilação efectuar-se-á com as plantas aromáticas, cujos óleos essenciais se podem fundir no destilado, originando um Gin peculiar e único, que pode igualar ou, até mesmo, ultrapassar a qualidade do Gin comercializado.