Alambique de Cobre Tradicional Charentais

Reminiscência de locais exóticos e distantes, este é o mais belo e gracioso de todos os alambiques. Ao contrário da maioria dos alambiques, o Charentais desenvolveu-se em França na região do Conhaque, no início do século XVI, quando os ácidos vinhos brancos de Charente da Regi&...

Reminiscência de locais exóticos e distantes, este é o mais belo e gracioso de todos os alambiques. Ao contrário da maioria dos alambiques, o Charentais desenvolveu-se em França na região do Conhaque, no início do século XVI, quando os ácidos vinhos brancos de Charente da Região foram convertidos em brandy. Na altura, as embarcações vindas dos países limítrofes dos mares do Norte e Báltico, que entravam no porto francês de La Rochelle para efectuarem carregamentos de sal, levaram também alguns vinhos locais. Posteriormente, para aproveitar espaço dentro das embarcações e aumentar o valor de cargas pequenas, o volume do vinho foi reduzido através da destilação operada por este alambique. Originalmente, a ideia era transformar este licor em vinho através da adição de água, quando regressassem a terra. Mas, em breve, os clientes demonstraram a sua preferência pelo brandy de Charente, Conhaque, em relação aos vinhos ácidos que este substituiu. Foi desta forma que a região de Charente prontamente se transformou numa prestigiada e conhecida produtora de brandy de excelente qualidade.

Devido ao seu lento processo de destilação, que demora normalmente uma média de 24 horas para completar a dupla destilação, o alambique tipo charentais está capacitado para produzir um destilado de vinho com um nível de qualidade que outros alambiques só conseguem alcançar após 3 ou 4 destilações sem vestígios de impurezas.

Este alambique inclui um pré-aquecedor em forma de cebola, cujos contornos característicos lhe conferem uma certa peculiaridade. O vinho branco é colocado no aquecedor, alimentado por uma chama constante, e no reservatório em forma de cebola. Quando o vinho colocado no aquecedor atinge o ponto de ebulição, os vapores reúnem-se no interior do reservatório abobadado, procurando um ponto de fuga. O único local de evasão é o pescoço de cisne. Posteriormente, o vapor desce por um tubo até ao reservatório em forma de cebola, o qual actua como um pré-aquecedor. Neste reservatório acontecem simultaneamente duas coisas: ao mesmo tempo que aquece o vinho que aí se encontra, o vapor continua a fluir gradualmente até ao recipiente de condensação, onde se recolherá o "brouillis". Terminada a destilação, o vinho que se encontra no pré-aquecedor (reservatório em forma de cebola) é transferido para o aquecedor, através de um tubo existente entre ambos, para ser destilado. Eis a razão pela qual este alambique é conhecido como sistema de destilação contínua. 

Depois de estas duas quantidades de vinho se encontrarem destiladas e obtivermos o "brouillis", este é novamente colocado na caldeira para levar a cabo uma segunda destilação e produzir "a bonne chauffe"- o produto final, que deverá ser armazenado numa pipa de carvalho para assimilar cor, aroma e também para reduzir o nível alcoólico, tornando a bebida mais aveludada e suave.

Informação útil: Dependendo da sua localização, todas as uniões do alambique tipo Charentais são soldadas em latão ou cobre, uniões soldadas, contanto que alcancemos uma construção livre de chumbo. Na manufactura destes alambiques é empregue cobre de espessura mais fina. Todas as peças possuem uniões rápidas de latão para evitar a fuga de vapores.

O alambique tipo Charentais é elegantemente produzido pela Al-Ambiq® com uma harmoniosa combinação de cobre martelado (feito artesanalmente), latão e acrílico (indicador do nível de vinho do reservatório em forma de cebola e do pré-aquecedor); tem um sólido suporte metálico preto e está equipado com um queimador (adaptável para gás butano e propano).

Quando recebem o alambique Charentais, muitos dos nossos clientes ficam maravilhados com a sua beleza, lamentando ter de usar um aparelho tão deslumbrante quanto este. Alguns acabam mesmo por usá-lo como peça decorativa, expondo-o no estúdio, na sala de estar ou na adega. No entanto, na maioria das vezes este alambique é vendido para fins funcionais. Peça decorativa ou funcional, a escolha é sua!

Este site inclui a informação básica acerca dos diferentes processos de destilação, assim como uma lista das precauções que devem ser tomadas na utilização de qualquer modelo. As peças constituintes do alambique foram concebidas e produzidas para se ajustarem e vedarem todos os vapores (até ao contorno côncavo do pescoço de cisne). No entanto, após alguns anos de uso, é natural verificar-se uma folga entre o pote de cobre e o pescoço de cisne, havendo a necessidade de a vedar para evitar a fuga de vapores. Tal poderá conseguir-se através de uma simples e rudimentar técnica de vedação.

Estes produtos são fabricados com chapas de cobre mais espessas e por este motivo só os temos disponíveis na nossa linha Premium.

Clique para ver uma animação 2D de Alambiques em Cobre - Charentais

Mais
Mostrando 1 - 7 de 7 itens
Mostrando 1 - 7 de 7 itens